Eu não acredito em assistencialismo

Eu não acredito em assistencialismo. Pronto falei. Muitas pessoas confundem assistencialismo com ajudar ao próximo. Na minha opinião, tudo que é assistencial escraviza, cria dependência. Eu prefiro ajudar as pessoas fazendo com que elas próprias possam fazer a mudança em suas vidas. Tudo o que é conquistado sem esforço, não tem valor. E o pior, as vezes vira uma obrigação da outra parte em continuar sempre oferecendo as mesmas condições. A vida é dura, e todos nós temos o dever de aprender com as dificuldades que enfrentamos.

Aprender para mudar, aprender para crescer, aprender para vencer.

Vou contar uma história que aconteceu comigo, para ficar mais fácil de compreender o quando o assistencialismo estraga a vida das pessoas.

Eu sempre trabalhei muito, mesmo com meus filhos pequenos. Quase sempre eles ficaram em creches ou com pessoas da família para eu poder trabalhar. Mas quando tive meu filho mais novo, estava com um pouco mais de condição financeira, e então consegui pagar uma pessoa, uma babá para ficar com ele. Ela era demais, cuidava dele com muito carinho, muita atenção. Deixava a casa toda organizada pra gente. Eu adorava aquela época e parecida que tudo estava indo muito bem. Mas num determinado dia, ela chegou até mim e pediu para fazer um acerto com ela. Ela não poderia continuar registrada mais. Eu não entendi muito bem e tentei descobrir se tinha acontecido alguma coisa. Ela me contou que tinha conseguido uma ajuda do governo, mas essa ajuda era direcionada para pessoas que não tinham conseguido um emprego. Ela tinha um emprego, então é claro eu esse valor não deveria ser direcionado para ela. Mas ela achava que era um direito seu, e como eu não queria ser complacente com a situação, desliguei imediatamente ela do trabalho.

Imagino que isso deva ocorrer muito, o tempo todo. As pessoas estão em busca de seus direitos e então esquecem de seus deveres. A fama do jeitinho “Brasileiro”, são as poucas coisas que eu não me orgulho dessa nação.

Eu tenho mesmo, a pretensão de mudar a forma com que as pessoas enxergam a si próprias e as oportunidades a sua volta. Pois se por um lado o assistencialismo escraviza e cria dependência, por outro lado a consciência liberta e gera novas oportunidades. Basta escolher de que lado ficar. Eu escolho sem duvida, a consciência!

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.